Mais um dia de Iluminação – Porto Iracema – Imersão Fotográfica

125A8816

O céu estava nublado, um dia frio e ótimo para começarmos mais uma aula no estúdio de fotografia da escola. Usamos pela primeira vez o kit profissional, com equipamentos para melhorar ao máximo nosso desempenho.

A aula começou com a utilização dos flashes em sua forma natural, calculando diferentes angulações e formas de preenchimento a “magia” aconteceu, as fotos apareceram de várias maneiras diferentes, com luzes desiguais, mudanças que se explicavam a cada troca de lugar dos aparelhos. Assim, o ensino de maneira prática era absorvido das palavras para as mãos e depois traduzido no visor para o olhar dos alunos.

O segundo momento da aula usamos as gelatinas para dar diferentes cores ao ensaio, rostos preenchidos com várias tonalidades e formas, dando as expressões sentidos, aos olhares medo ou felicidade, coisas que só podiam ser descritas pela imersão dada pelos alunos no que chamamos: Fotografia.

 

 

 

Ensaio com o Sol – Porto Iracema – Imersão Fotográfica

125A5707

E ontem foi o dia de mais um aula no estúdio. Mesmo com alguns problemas técnicos a aula não deixou de acontecer, trocamos as luzes dos flashes profissionais pela que vem “bater” na nossa cara todos os dias, a luz do Sol.

Com muita descontração, usamos da janela até a sombra de uma árvore para o ensaio a seguir. Trabalhamos com rebatedor e isopor, vendo a diferença que cada um faz tirando a sombra na pele e preenchendo com o que reflete. Usamos o medidor de luz e aprendemos algumas técnicas para obter um melhor resultado com o objeto.

E aqui vai o resultado do dia que o sol deu sua aula para turma:

 

 

 

 

Feeling Monster Music – Porto Iracema – Imersão Fotográfica

12211161_871155846333447_235955983_o

Ao decorrer dos meses entramos no quarto período do projeto PreAmar de Fotografia. Assim, com os projetos já andando e sendo testados, como foi mostrado no post anterior, o que vem a ser apresentado agora são algumas fotos do “Feeling Monster Music”, inventário construido através do sentimento musical, onde a longa exposição é segredo para obter o resultado final.

Formando em sua base um aura, o que é apresentado no quadro deriva do movimento do artista, do medo, da ansiedade, da emoção, da força, do suor e da certeza de não ser mais um ali no palco, colocando todos os seus “monstros” para fora.

Que em fotos surreais são apresentados:

 

 

 

 

 

 

One For All (Conceito) – Porto Iracema – Imersão Fotográfica

12236891_10203742539282336_266806754_o

O Processo Criativo se aprimora e junto com ele os inventários começam a criar conteudos. As fotos de hoje vieram do ensaio realizado pelo ex grupo “3×4” que agora nomeia-se “One for All“, querendo mostrar através das fotos, feitas no estúdio da escola, desde transformação a desconstrução de um ser, saindo do molde da sociedade, entrando no seu mundo e mostrando sua verdadeira identidade.

As duas aulas foram voltadas os testes com flash. A Iluminação foi alterada conforme a necessidade de luz dos próprios alunos. De técnicos a modelos, todos participaram e produziram com criatividade.

Das Ideias floresceram formas que aqui se apresentão:

 

 

Iluminação Artificial – Uso do Flash

Dando sequência às aulas de iluminação, hoje trabalhamos com iluminação artificial e uso do flash. Exploramos os efeitos de luz que conseguimos obter a partir da soma do flash às gelatinas, usando tons de azul, amarelo e vermelho. Usamos também o flash externo e efeitos de movimento, ajustados à iluminação do ambiente e o obturador em baixa velocidade a fim de proporcionar movimento ao corpo.


Imersões fotográficas: discursos e desconstruções

O percurso propõe uma experiência em criação fotográfica, tendo a produção de inventários virtuais como estratégia artística. Desse processo criativo emergem questões como: os fluxos instáveis entre registro e invenção; a relação do fotógrafo com as imagens – captura, organização, montagem, desmontagem; o instante efêmero e os vestígios; a partilha de imagens produzidas pelos artistas inventariantes e pelos inventariados etc. Estimula-se a experimentação de dispositivos analógicos como pinhole e polaroide, do espaço do estúdio e espaços externos, bem como das diferentes possibilidades da fotografia e seus diálogos com outras linguagens, a fim de estimular uma vivência complexa do processo fotográfico em todo o ciclo da produção dos inventários, desde a idealização até a publicização em plataforma on-line.

Com: Juliane Peixoto e Guilherme Pereira
Carga horária: 180 h/a
Período: 14 de setembro a 8 de dezembro
Horário: Segunda a sexta, 08:30 – 11:30

Público-alvo:
O percurso é destinado a ex-alunos do percurso de Fotografia Digital do Porto Iracema das Artes.

Artistas orientadores:
Juliane Peixoto Medeiros – Graduada em Cinema e Audiovisual pela Universidade Federal Fluminense. Atuou como pesquisadora audiovisual no Projeto Vidas Paralelas – parceria entre UnB e Ministério da Cultura. Também atua como diretora de fotografia em longas e curtas metragem. Em 2014 foi artista residente do Laboratório de Artes Visuais da Escola Porto Iracema das Artes no MAC-CE, além de participar de algumas exposições coletivas como 66 Salão de Abril de Fortaleza no CCBNB e Triangulações 2015.
Guilherme Pereira e Silva – Graduando em Cinema e Audiovisual pela Universidade Federal do Ceará. Fotógrafo free lancer e Diretor de Fotografia.